Adquira o seu Coach

A história de Arne

header35

Algumas pessoas acham que a versão ideal de si não passa de uma ilusão. Que é preciso ser especial para alcançar seus objetivos. Que está além das forças humanas. Mas isso não passa de desculpa. Ser um Atleta está em todos nós. Todos detêm em si a força para se tornar a versão ideal de si, se assim desejarmos. Basta desejar o suficiente para conseguir.

Todos viram os resultados em seu vídeos inspirador. Se ainda não viu, confira aqui.

Embedded content: https://www.youtube.com/embed/zuhzWKbRq6s

Arne tem 27 anos e é gerente de IT. Ele é um cara normal que, como você, começou com um sonho e um plano para alcançá-lo: resolveu dar uma chance ao Freeletics.

Hoje, Arne motiva milhões. Agora é hora de nós o conhecermos.

Arne, há quanto tempo você pratica o Freeletics?

“Acho que comecei em maio de 2012, o que deve dar uns dois anos e meio, ainda contando.”

Como foi seu primeiro treino? Como você se sentiu?

“Meu primeiro treino foram 50 pull-ups, 50 Burpees e 100 Push-ups, com 3 sprints no começo e no final da sessão. Eu treinava com alguns amigos que me apresentaram ao Freeletics. Tinha acabado de me recuperar de uma cirurgia na época e não praticava esportes fazia meses, por isso esperava ir mais devagar que eles. Acabou que demorei 60 minutos a mais para terminar. Senti uma mistura de constrangimento e esgotamento. Não teria nem terminado a sessão se o tempo todo meus amigos não gritassem para eu continuar.”

Você ficou dolorido e esgotado depois da primeira sessão. Por que continuou?

“Adorei a sensação! Quando paro hoje para analisar aquele treino eu rio, não é muito difícil, mas na época 50 pull-ups pareciam impossíveis. Vi meus amigos treinando comigo e estavam super em forma. Queria ser como eles.”

Seu vídeo de transformação tem mais de 6 milhões de visualizações. É visualização que não acaba mais! Já te reconheceram quando estava treinando ou só passeando pela cidade? Você tem alguma história divertida sobre isso?

“Sim! Às vezes as pessoas me abordam e querem tirar uma foto ou pedem conselhos de treino e nutrição. Certa vez, estava viajando a negócios e um dos parceiros me reconheceu. Em vez de tratarmos de questões de trabalho, acabamos falando do Freeletics por 2 horas.”

Como é ser tão conhecido neste esporte?

“É gostoso motivar tanta gente a ser um Atleta Livre, mas é algo que qualquer um pode fazer. Só precisa ter vontade. Já vi muita gente mudar de vida completamente.”

Que dicas você daria para outros Atletas Livres, especialmente aqueles que estão começando agora?

“Concentre-se na execução certa do exercício e não se intimide pelo ritmo dos outros. Se você fizer direito, velocidade e resistência virão com o tempo. A melhor forma de aprender o jeito certo é assistir os vídeos várias vezes. Eles explicam os movimentos, mas você não vai entender todos os detalhes só assistindo uma vez. Você também pode pedir para um amigo ver você fazendo os exercícios. Eles vão dizer se você está fazendo direito todos os movimentos.”

Foi assim que aconteceu no seu próprio treino?

“Com certeza. Nunca fui o mais rápido dos Atletas em comparação aos outros, mas consegui resultados. Não se concentre no tempo se a forma estiver uma porcaria. Vejo algumas pessoas fazendo push-ups que parecem um wave, mas, se você assistir ao meu vídeo, vai saber que é possível ter uma super transformação sem ser rápido. Não estou falando isso para me gabar, só para encorajar as pessoas que ainda não são muito rápidas. Faça com que cada repetição conte, não se importante tanto com a velocidade. Você vai ficar mais rápido porque seu tempo de descanso vai ser menor, não porque está fazendo errado.”

Você tem um treino favorito?

“Zeus. Gosto dele porque treina o corpo todo, mas tem umas pausas entre a próxima rodada.”

Qual você gosta menos?

“Kentauros. Fico com o corpo dolorido por dias depois dele. Quando o Coach diz que tenho que fazer, me concentro na próxima repetição e não penso em mais nada. Afinal de contas, o Coach é que sabe! E quero os resultados que o Coach vai me ajudar a conseguir.”

Qual é o treino programado para hoje?

“Só um segundo, deixa eu ver aqui com o Coach. Pronto, diz que meu próximo treino é um Venus.”

Você faz strength, cardio ou os dois?

“Prefiro strength. Se você vir meu vídeo, vai saber que eu era um cara magrelo antes de treinar com o Freeletics. Minha tendência é perder peso se fizer muito cardio.”

Como é a sua rotina? Você treina antes ou depois do trabalho? Fale um pouco para nós sobre a programação dos seus treinos, a frequência, o local, essas coisas…

“Olha, eu ainda faço boxe e jiu-jitsu brasileiro, por isso treino com o Freeletics duas vezes por semana. Costumo treinar depois do trabalho, mas, no verão, às vezes treino antes para aproveitar o sol da manhã. É o melhor jeito de começar o dia. No centro de Munique há vários parques onde treino, mas também treino dentro do meu apartamento. Meus pais vivem fora da cidade, perto de onde comecei o Freeletics. É gostoso treinar no primeiro lugar onde tudo começou.”

Descreva o lugar mais incrível que você já treinou.

“Certa vez, no Rio de Janeiro, treinei em uma academia improvisada ao ar livre, de frente para o mar, entre Copacabana e Ipanema. Era um lugar de tirar o fôlego, mas posso treinar em qualquer lugar. A verdade é que essa é uma das grandes vantagens dos treinos com o peso do corpo. Você não precisa estar num lugar legal.”

Você costuma treinar com mais gente ou sozinho?

“Olha, com certeza é mais divertido treinar com outros atletas. Nunca treino sozinho: treino ou com minha namorada ou com amigos, tipo o Levent.”

Como foi que o Freeletics mudou outras áreas da sua vida?

“Quando conclui minhas primeiras 15 semanas de treino e vi o que consegui, sabia que podia atingir qualquer meta da minha vida com a mentalidade certa. Conforme impulsionava meu corpo para atingir os resultados, também aprendi como estimular a mente. Quando você só tem um objetivo e só pensa nele, você se empenha até alcançá-lo.”

Certo, vamos falar de algo pessoal: 10 coisas que há na sua geladeira?

“Geralmente tem arroz, macarrão, batata, frango, carne vermelha, tomate, queijo cottage com baixo teor de gordura, leite, todos os tipos de doces e sobremesas. Quando quero ganhar peso, tenho que comer de 6 a 7 vezes por dia, então sempre mantenho comida por perto.”

O que você acha de suplementos?

“Particularmente, não uso. Como barras de proteína quando preciso de um lanchinho no trabalho.Como shakes, eu faço minha própria mistura de queijo cottage com baixo teor de gordura porque não curto o gosto dos artificiais.”

Conte para nós algumas dificuldades que você superou.

“Quando comecei, pull-ups eram a minha maior fraqueza, mas depois de dois ou três meses, já conseguia fazer todas as repetições na versão estrela. Simplesmente me concentrava em fazer todas as versões do jeito certo. A próxima dificuldade era comer o suficiente. Na maior parte do tempo não tenho fome, então tive que aprender a comer mesmo sem estar com vontade. No fim das contas, tudo se resume ao mesmo princípio: você precisa superar seus limites para atingir um novo patamar. Principalmente quando se trata de alimentação. Se você não comer comida saudável e consumir os tipos de alimentos certos para atingir a sua meta, provavelmente não vai chegar nela.”

Você errou alguma vez no treino? Quais são os tipos de erros que você vê as pessoas fazerem?

“Fiz uma sessão de 50 pull-ups seguidos. Fiz a versão estrela para 5 repetições e fiz o restante pulando quando não aguentava mais. Aquilo me deixou destruído e fiquei com os braços como os de um Tiranossauro por 2 semanas. Vejo muita gente que se concentra mais na velocidade do que em fazer direito. Aí eles pensam por que é que se machucaram ou por que não estão vendo os mesmos resultados que os outros.”

Qual a sua próxima meta de treino?

“Minha próxima meta é pesar 100 kg. Por enquanto, fico entre 92 e 95 kg. É como eu disse: para mim, é difícil ganhar peso. Preciso comer o tempo todo.”

Quais são os maiores mitos sobre o Freeletics?

“Que você não precisa do Coach. Sem o Coach dizendo o que fazer, você sempre vai ficar com os treinos mais cômodos e nunca se empenhar para ultrapassar seus limites. Alguns dizem que o Freeletics não tem nada de novo. Pull-ups e push-ups existem desde sempre. Mas eles não estão entendendo: a grande diferença do Freeletics é que você aprende a mentalidade certa e persevera na prática, em vez de desistir em poucas semanas.”

A última pergunta: muita gente quer saber por que você estava rindo no vídeo…

“Acho que tive que fazer o vídeo umas dez vezes. Foi esquisito fazer aquelas poses de musculoso com meus amigos na sala. Tinha que ficar girando e tudo mais, não tinha como ficar sério. Algumas vezes eu não ri, mas acho que meus amigos usaram essa porque acharam que estava engraçado.”

Agora, quando você vê um Atleta aparecendo nos vídeos e nas fotos do Freeletics, não pense que o que eles conseguiram é impossível. Você tem em si a força interior para liberar o seu potencial latente. Como Arne, você só precisa se empenhar o bastante. Obtenha o Coach e descubra um melhor você.