O aumento da velocidade tem a ver com a genética?

bella running

Alguns dizem que os velocistas são rápidos por natureza e que os maratonistas se condicionam. Mas não é bem assim. Em ambos casos é preciso muito esforço. Mas se você não é rápido, como pode passar a ser? Descubra o que está por trás de ser veloz e o que você pode fazer para se tornar uma versão mais rápida de si mesmo.

Há centenas de milhões de fibras musculares esqueléticas no corpo. Juntas, estas compõe as chamadas fibras musculares de “contração lenta” e de “contração rápida”.  As fibras de contração lenta usam muita energia porque consomem essa energia lentamente e durante um longo período de tempo, antes de ficarem fatigadas. Isso as torna essenciais para esportes de resistência, como corridas de longa distância, por exemplo. Comparativamente, as fibras musculares de contração rápida utilizam menos energia porque são mais explosivas, mas se cansam rapidamente. Estas são importantes para atividades como os sprints. E, visto que essas fibras musculares podem crescer em tamanho, é normal os velocistas terem os músculos da coxa mais bem desenvolvidos.

Os Atletas já nascem rápidos?

A maioria das pessoas tem uma mesma quantidade dos dois tipos de fibras musculares, mas algumas podem ter mais de um tipo do que do outro. Ter mais músculos de contração rápida, geneticamente, significa que uma pessoa seria melhor nos sprints, enquanto que pessoas com maior número de fibras musculares de contração lenta seriam melhores maratonistas. Existem maneiras de treinar ambos os tipos de fibras musculares: sprints, musculação e treino intervalado de alta intensidade ajudam a desenvolver fibras de contração rápida e treinos cardio (especialmente corridas de longa distância) treinam as fibras musculares de contração lenta.

Mas qualquer um pode aumentar a sua velocidade, não importa a genética. Até mesmo melhorar sua técnica já ajuda – por exemplo, usar os braços corretamente durante a corrida. Exercícios de coordenação e de mobilidade também melhoram a sua técnica e, consequentemente, a sua velocidade. Treinos intervalados aumentarão a sua velocidade, então continue treinando os sprints! Desenvolver e fortalecer os músculos da perna, responsáveis por te impulsionar, também vai ajudar a aumentar a sua velocidade. Para se tornar mais rápido também é necessário treinar a coordenação neuromuscular. Isso funciona em dois níveis: Na coordenação intramuscular e na coordenação intermuscular. A coordenação intramuscular envolve melhora das unidades dentro de um único músculo liberando assim todo o seu potencial, enquanto que a coordenação intramuscular significa melhorar a interação entre os grupos musculares. Estes aspectos podem ser melhorados através de treino de força e treino de coordenação, respectivamente.

Para objetivos diferentes, treinos diferentes

Não importa se você quer bater seu PB nos 100m em alguns segundos ou se quer correr uma maratona, ambos exigem muito trabalho, mas metas diferentes requerem treinos diferentes. Para corredores de longa distância que queiram aumentar a sua velocidade, corridas longas e lentas para a resistência, corridas rápidas e intervaladas para a treinar velocidade em geral e corridas mais longas, mas mais rápidas tais como as do workout Shu, devem ser os principais elementos do treino. Elas vão garantir uma melhor velocidade em longas distâncias. Já velocistas, terão que continuar nos sprints, se dedicar aos treinos de força e melhorar a coordenação.

Alguém que queira aumentar a sua velocidade em geral terá de manter uma boa combinação de treinos adequados aos seus objetivos e manter uma boa regeneração. É importante lembrar que o corpo precisa de tempo suficiente para alcançar os objetivos elevados que você definiu. Então, seja paciente e continue se esforçando.